quarta-feira, 31 de agosto de 2011

Visão geral sobre os mitos celtas

Visão geral sobre os mitos celtas


Os mitos celtas foram preservados através das tradições orais e através dos registros escritos de monges cristãos, poetas e escribas medievais, que se ocupavam em traduzir as lendas e os contos, que os celtas e seus descendentes contavam entre si.

O universo irlandês foi o que melhor conservou as tradições celtas, pois a Irlanda nunca fora invadida por Roma, portanto, seus mitos se tornaram mais precisos, mesmo que de forma oral. A escrita entre os celtas se deu, por volta do século V d.C. com a chegada do cristianismo através do monge São Patrício.

Os mitos irlandeses

Muitos dos mitos irlandeses sofreram modificações conforme o contexto cristão, como é o caso dos contos irlandeses de "Lebor Gabála Érenn - O Livro das Invasões", uma coleção de manuscritos redigidos em forma de poema e prosa, que narram as origens míticas e histórias da Irlanda até o século XI.

O mais antigo manuscrito irlandês é o compêndio conhecido como, "O Livro da vaca marrom - Leabhar na hUidre", que contém parte da "Invasão do gado de Cooley - Cúailnge Tain Bó", no Ciclo de Ulster e que nos conta a saga do grande herói celta CuChulainn e suas façanhas.

A maioria dos registros históricos sobre os mitos celtas na mitologia irlandesa, está guardada e preservada em universidades e bibliotecas nacionais da Irlanda. Os manuscritos mais famosos são:

- Lebor Gabála Érenn (O Livro das Conquistas).

- Lebar na Núachongbála (O Livro de Leinster).

- Leabhar Baile an Mhota (O Livro de Ballymote).

- Leabhar Mór Mhic Fhir Bhisigh (O Grande Livro de Lecan).

- Leabhar Buidhe Lecain (O Livro Amarelo de Lecan).

- Leabhar Feirmoithe (O Livro dos Fermoy).

Existem algumas versões diferentes dos mesmos contos em cada um desses manuscritos. O mais famoso deles "Lebor Gabála Érenn - O Livro das Conquistas" possui interpretações mais detalhadas sobre vários contos, que também estão descritas no "Livro de Leinster", no "Livro de Ballymote", no "Livro Amarelo de Lecan" e no "Livro dos Fermoy".

Diante das várias formas de descrever os mitos irlandeses, citaremos uma visão geral sobre os contos celtas mais conhecidos, facilitando a pesquisa e o estudo, os quais foram divididos em quatro grandes ciclos principais:

1°- O Ciclo Mitológico Irlandês: o ciclo sobre a história mítica da Irlanda e suas origens, com uma série de invasões, dos Tuatha Dé Danann até a chegada dos Milesianos.

2°- O Ciclo de Ulster: ciclo sobre o reinado de Conchobar Mac Ness, Rei de Ulster, no início da era cristã e os feitos do herói CuChulainn e os guerreiros Ulaid, chamado antigamente de "Ciclo do Ramo Vermelho".

3°- O Ciclo Feniano: ciclo das histórias populares, por volta do século III, conhecido também como Ciclo Ossiânico, que conta a trajetória de Finn Mac Cumhail e os Fianna.

4°- O Ciclo Histórico ou dos Reis: ciclo das histórias e feitos dos reis Milesianos, que inclui alguns períodos históricos do Ciclo do Ulster, contada pelos antigos bardos.

Há ainda outras histórias que não se enquadram em nenhum desses ciclos e que falam sobre aventuras e viagens ao Outro Mundo, associados ao oeste e à água, conhecidas como immram ou immrama, no plural, em que se descrevem as jornadas místicas de heróis pelo mar rumo a Tir na nÓg.

Os mitos galeses

Os mitos celtas também são retratados através da mitologia galesa, seguindo a tradição oral e conservados, nos onze contos do Mabionogion, agrupados em três grupos, uma coletânea de manuscritos em prosa escritos em galês medieval, nome dado à coletânea pela tradutora inglesa Lady Charlotte Guest, em 1849. São eles:

Quatro Ramos do Mabinogi: ciclo mitológico das três famílias de Deuses.

- Pwyll, Príncipe de Dyfed
- Branwen, a Filha de Llyr
- Manawyddan, o Filho de Llyr
- Math, o Filho de Mathonwy

Contos Nativos: lendas célticas compiladas por Lady Charlotte Guest.

- Magnus Maximus
- Lludd e Llefelys
- Culhwch e Olwen
- Hanes Taliesin

Romances Arthurianos: versões galesas dos contos arthurianos.

- Owain, a Dama da Fonte
- Peredur, filho de Efrawg
- Geraint e Enid

Conheçamos, então, os grandes ciclos e seus contos extraordinários.

Bênçãos plenas do Céu, da Terra e do Mar!

Fontes da pesquisa:
BELLINGHAM, David - Introdução à Mitologia Céltica - Lisboa: Ed. Estampa, 1999.
GUEST, Lady Charlotte - The Mabinogion - Ed. Kinkley, 1887.
MACCULLOCH, J.A. - A Religião dos Antigos Celtas - Edinburgh: T. & T. CLARK, 1911.
MONAGHAN, Patricia - The Encyclopedia of Celtic Mythology and Folklore - Facts On File: New York, 2004.
SQUIRE, Charles - Mitos e Lendas Celtas - Ed. Nova Era, 2003.

Rowena Arnehoy Seneween ®
Pesquisadora da Cultura Celta e do Druidismo.

Website:
www.templodeavalon.com
Brumas do Tempo:
http://brumasdotempo.blogspot.com
E-mail:
rowena@templodeavalon.com

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

. Bruxaria .